terça-feira, 6 de maio de 2014

Coalizões: O que são e para que servem









A coalizão é uma unidade social de vampiros. Cada uma delas é um grupo artificial que reúne membros da Família com filosofia, idéias, objetivos políticos e até mesmo noções religiosas semelhantes. Os vampiros geralmente só podem pertencer a uma coalizão por vez, pois os membros costumam adotar princípios mutuamente exclusivos, mas os Amaldiçoados às vezes deixam uma coalizão para se unir a outra, disfarçam sua afiliação participando de varias delas ou criam deliberadamente falsas identidades para espionar outras coalizões. Alguns vampiros não pertencem a nenhuma coalizão. Os membros da Família que não pertencem a uma coalizão são conhecidos por muitos nomes, mas entre os mais comuns temos "apartidários" ou "desgarrados". Eles não apresentam uma estrutura formal e muitos só desejam lidar com o Réquiem do seu jeito, e não da maneira como fazem as coalizões ou outras instituições.

As coalizões servem como nações, pois proporcionam à Família uma sensação de comunidade que não se encontra em nenhum outro lugar. Os membros da Família são Abraçados em um clã, algo que não podem escolher. Como muitos mortais, mesmo que sejam leais a sua estirpe e sua família, eles geralmente divergem em suas opiniões e crenças. Em sua maioria, estão aprisionados em seus domínios natais, e sua lealdade ao regime local geralmente é comprada com o medo e imposta pela ambição. A fidelidade às coalizões, contudo, é algo que os membros da Família podem controlar pessoalmente. São atraídos por facções que adotam doutrinas nas quais eles acreditam (ou ao menos às quais não fazem objeções). É nas coalizões, mais do que em qualquer outra organização, que eles muito provavelmente encontrarão, no mínimo, outros membros da Família com as mesmas idéias e os mesmos objetivos.

As coalizões servem como partidos políticos, proporcionando um apoio implícito e a maioria tenta obter o máximo de influencia dentro da estrutura de poder da Família para promover seus objetivos e minar os das outras coalizões. Algumas coalizões estranhamente também servem como religião para alguns de seus membros, como a Lancea Sanctum e o Círculo da Anciã, que ostentam sua composição religiosa, mas mesmo assim todas as facções tendem a defender com unhas e dentes certas crenças e atitudes que muitas vezes beiram ao dogmatismo. Para se diferenciar da estrutura comum dos clãs, as coalizões apresentam quadros sociais inconstantes. O membro da Família nunca muda de clã, mas pode mudar de coalizão. É difícil rejeitar uma coalizão e ingressar em outra, mas não é impossível.

As coalizões não necessariamente vivem em conflito constante. A maioria das cidades apresenta membros de todos os grupos principais (ou pelo menos de alguns), e os governos Familiares operam efetivamente com dignitários e consultores de varias facções. Da mesma maneira que as igrejas rivais no passado ou partidos políticos de hoje, as coalizões geralmente conseguem coexistir, mas raramente concordam nas questões mais importantes - e ainda assim, o simples fato destas coalizões existirem leva inevitavelmente à discórdia. Até mesmo os poucos membros da Família que não desejam o pode para si entendem por que é interessante para eles que os colegas de coalizão detenham o Maximo possível de autoridade. Toda facção quer estar no controle, e cada uma delas tem sua visão de como se deve governar. Na maioria das cidades esses conflitos são dissimulados, assim como ocorre no mundo político mortal, usando-se subterfúgios como espionagem, sabotagem, subornos, chantagens e ocasionais assassinatos. Em certos domínios, essa constante guerra fria se aquece e as coalizões se envolvem em conflitos francos, muito similares a guerras entre gangues mortais, sindicatos mafiosos. Mas, quanto mais longa a guerra, mais difícil de se proteger a Máscara. Tais conflitos não cessam, mas simplesmente arrefecem quando um ou todos os partidos envolvidos ficam exaustos demais para continuar. A paz duvidosa que parece resulta, na medida em que as coalizões são obrigadas pelo atrito a novamente coexistirem, muitas vezes dura até uma delas recuperar suficientemente suas forças para recomeçar tudo outra vez.



Fonte: Vampiro: O Réquiem

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Conselhos para os Guardiões de Rastro de Cthulhu e Chamado de Cthulhu

(Retirado de um artigo de Jean Balczesak, do Casus Belli – revista francesa da década de 1980, em tradução livre) [Nota pessoal: ne...