Copyrights @ Journal 2014 - Designed By Templateism - Published By Gooyaabi Templates - SEO Plugin by MyBloggerLab

sexta-feira, 13 de junho de 2014

, ,

Resumo de Regras do Mundo das Trevas e de Vampiro: O Réquiem


Sobrepujar meu primeiro, mais selvagem e persistente defeito, a sede que me leva ao assassínio, a fome que me faz impuro... eis o desafio, anelar-me em volta do sangue e constringir essa carência até submetê-la. Que aliados posso encontrar na luta contra essa necessidade?
- Os Ritos do Dragão


Para auxiliar os jogadores como forma de pesquisa rápida, eu rediagramei algumas informações sobre o Mundo das Trevas e de Vampiro: O Réquiem. 


Fontes: Mundo das Trevas Vampiro: O Réquiem mundodastrevas.com newtonrocha.wordpress.com



quarta-feira, 11 de junho de 2014

, , , ,

Conto introdutório ao Cenário de Nova Orleans

Hoje, andando por essas ruas sujas e mal iluminadas, sinto-me bucólico. Porque meus caminhos me trouxeram até aqui?

Caminhando a esmo, vejo-me em frente à Catedral St Louis. Paro e a observo mais um instante. Foi ali que recebi minhas primeiras impressões e conselhos para guiar meu réquiem.


Lembro-me como se fosse ontem. Talvez alguns detalhes tenham se perdido com o passar dos anos, mas lembro-me da voz firme do padre Jonas. Ele era o responsável por “educar” os recém abraçados...


A igreja está vazia, na penumbra. Não me sinto muito confortável aqui, assim. Eu não deveria estar queimando ou algo assim? Ali, no confessionário, vejo o padre abrindo a porta e me chamando. Me dirijo com passos vacilantes até o ele. Não sei o que esperar desta conversa...


Ajoelho-me. A grelha que me separa do padre se abre. Sua voz tem um tom de serenidade e algo mais. Uma nota, quase que escondida, de... ameaça?



Silêncio.

Boa noite meu filho, meu nome é Padre Jonas. Bem, vejo que talvez desconheça ou deva ter se esquecido como funcionam as coisas aqui na igreja. Comece assim “perdoe-me padre, pois eu pequei...”

Sim, isso mesmo.

Você deve estar se perguntando o motivo de estar aqui, comigo, agora que leva uma “vida” diferente. Bem, todos que acabaram de iniciar o réquiem aqui em Nova Orleans, a pedido do Principe Vidal, devem trocar algumas palavras comigo.

Já que você ainda está aprendendo sobre a não-vida, acredito que o básico sobre nossa sociedade seu senhor já lhe ensinou, certo? Claro que sim, eu já sabia.

Certo. Talvez ele não tenha explicado alguns detalhes sobre o principado de Nova Orleans, presumivelmente esperando que eu o fizesse. Pois bem. Como já percebeu, por trás das luzes da cidade, dos gracejos e da euforia do Mardi Gras, dos bares de jazz e conversas movidas a Bourbon, dos problemas mundanamente corriqueiros, existem os sorrisos frios, falsas esperanças e o gosto amargo da solidão, desespero e imortalidade.

A Família movimenta nossa sociedade paralelamente à dos mortais, mas seus desejos são um pouco mais... profundos.

Acredito, meu filho, que em suas poucas andanças por ai e algumas conversas com seu senhor, você deva ter ouvido alguns nomes, uns com orgulho e imponência, outros com desprezo e medo.

Augusto Vidal é o nosso regente, governa a Familia com mãos fortes e justiça. É um Santificado membro do Lancea Sanctum, que por sua vez é patrono desta catedral e de todos os locais cristãos desta cidade;

O Mestre de Elísio Gus Elgin é alguém que você verá com certa frequência em eventos sociais;

Antoine Savoy, auto intitulado “Lorde de French Quarter”, apesar de também ser um membro do Lancea Sanctum, parece ter se distanciado dos nosso dogmas. Aconselho que, ao tratar com ele ou com seus associados, tome cuidado: suas palavras doces escondem a malícia dos séculos;

O Barão Cimitiere é, digamos, persona non grata de Nova Orleans. Suas atividades pagãs e o sacrilégio de sua pretensa fé no vodum somente são toleradas por nosso Príncipe pois ele acredita que até mesmo este filho desgarrado pode, um dia, trilhar o caminho dos justos:

Caso algum dia você encontre alguma dificuldade, procure o xerife Donavan. Ele, ou seus imediatos, poderão lhe ajudar no que for preciso;

Tome muito cuidado com Cleavon “Shep” Jennings. Sua visão anarquista influencia os desesperados e despreparados. Ele prega que precisamos viver sem regras para podermos sermos plenos. Mas, sabemos muito bem que sem regras, o mundo seria um inferno, não é mesmo?

E falando em regras, devo te lembrar de algumas, a pedido do Príncipe:

1º Respeite as Tradições: bem, não vamos descer a detalhes, apenas lembre-se de nunca quebrá-las.

2º Não pratique ou se associe com os praticantes do paganismo: Nosso misericordioso Deus não quer que flertemos ainda mais com o Inimigo. Já nos basta a penitência da não-vida.

3º Sob hipótese alguma envolva-se em brigas, disputas ou rixas (seja a céu aberto ou não) e nunca porte qualquer tipo de arma, não importa se sua existência dependa ou não disso. Caso esteja sendo ameaçado ou enfrentar qualquer tipo de problemas, procure o xerife ou seus imediatos.

4º A manifestação ou uso de quaisquer poderes advindos do Sangue é terminantemente proibido! Além de ser uma quebra clara das Tradições, tais aplicações e demonstrações fomentam o ódio, a inveja e a cobiça, além de o deixar a mercê da Besta e de seus excessos profanos.

Se comprovada alguma transgressão, o pecador será punido conforme a gravidade do pecado. A expiação poderá acontecer por intermédio do sacrifício do isolamento - assim como Miriã que expiou entre dor, solidão e lágrimas, o pecado cometido por seus pensamentos e suas palavras. Pela perda de um lugar de prestígio, em que lembramos o exemplo do arrogante Rei Saul, que esqueceu os caminhos do Senhor, e teve sua coroa e o apoio de Deus entregues ao jovem Davi, um humilde pastor de cabras. E quando a ira de Deus não puder ser aplacada com leves penitências mundanas, não hesitaremos em aplicar expiação através da extinção lenta e dolorosa da não-vida, mesmo que para isso tenhamos que caçar o pecador nos confins da Terra. Atentai a maravilha que é utilizar a maldição da nossa imortalidade para glorificar a Deus, colocando em seu altar toda uma eternidade de uma não-vida de penitências...

Não se preocupe meu filho. Sinto que você é uma pessoa de boa índole, e nunca será uma ovelha desgarrada. Lembre-se, o nosso grande e misericordioso Deus sempre observa seus filhos em todos os passos de seu caminho terreno. E nós também. Creia nele, seja fiel à sua palavra, e nada irá lhe acontecer.

Acho que me excedi e falei antes do devido. Não nos esqueçamos do que você veio fazer aqui, hoje. Que pecados cometeu desde sua última confissão?





E essas foram as primeiras notas do meu réquiem. Desde aquele dia ele tem sofrido correções, rasuras e certa vez quase terminou.

De onde veio esse súbito sentimento nostálgico? Talvez seja por eu não mais ter me confessado desde aquele dia, ou dessa sensação maldita de que algo trágico está para acontecer...


domingo, 8 de junho de 2014

, , , ,

Elísios de Nova Orleans

Um dos costumes mais antigos e respeitados da Família, cuja importância muitos neófitos contemporâneos subestimam drasticamente, é o do Elísio.

Resumidamente, um Príncipe declara locais específicos da cidade onde os Membros podem interagir sem medo de violência ou represálias. Muitos negócios oficiais da Família são fechados nos Elísios, tornando tais locais uteis para resolver alguns problemas, entrar em contato com líderes ou anciões.

Geralmente nos Elísios são oferecidos "petiscos", principalmente durante as reuniões importantes ou outras ocasiões formais, mas isso não é uma regra. Considera-se falta de educação se apresentar nestes locais faminto, pois isso não somente leva à comportamentos irritadiços como a possíveis transgressões da regra de não-violência. Muitos Príncipes inclusive proíbem a caça em um raio de vários quarteirões. Vale ressaltar que qualquer tipo de confronto físico ou místico é estritamente proibido no interior do Elísio, mas o conflito social elevou-se à categoria de arte tanto quanto a guerra declarada. A transgressão desta regra é punida com banimento ou execução imediata. Apesar da sensação de proteção que tal regra produz, é preciso muito cuidado com o que se diz em tais espaços, pois muitos conflitos Familiares que acabaram irrompendo em violência, começaram com uma palavra mal empregada nos Elísios.

Os membros da Família que levam convidados a tais encontros são responsáveis pelo comportamento de seus acompanhantes e podem ser severamente castigados por violações cometidas pelos mesmos, sejam eles escravos de sangue, criados mortais, novos infantes, vampiros de fora da cidade ou até mesmo membros locais da Família que não foram especificamente convidados.

Em Nova Orleans não poderia ser diferente. O Príncipe Augusto Vidal elevou à categoria de Elísio os seguintes locais: 

  • Bar Jean Latiffe’s Old Absinthe
  • Bar Maspero’s Exchange
  • Biblioteca
  • Café Napoleon House
  • Casa de Espetaculos Preservation Hall
  • Casa tombada Old Spanish Custom House
  • Centro Comercial World Trade Center
  • Centro de Arte Contemporânea  
  • Centro de Artes Criativas
  • Centro de Convenções e Eventos Gallier Hall
  • Centro Médico de Nova Orleans
  • Estádio Louisiana Superdome
  • Hospital Geral de Nova Orleans
  • Hospital Universitário Tulane
  • Hotel Cornstalk
  • Hotel Monteleone
  • Hotel Omni Royal
  • Hotel Storyville
  • Hotel Villa Convento
  • Mansão LeMonnier
  • Mercado Frances
  • Museu 1850 House
  • Museu Cabildo
  • Museu da Guerra Civil
  • Museu de Arte Sulista Ogden
  • Museu de Artes de Nova Orleans
  • Museu de Coleção Histórica de Nova Orleans
  • Museu Pitot House
  • Prefeitura
  • Presbitério
  • Restaurante Antoine’s
  • Restaurante Galantoire’s
  • Todos os locais de veneração católico/cristão 


quinta-feira, 8 de maio de 2014

, , , , , ,

A Feitiçaria da Família: Espirais do Dragão



Espirais do Dragão

 Porquê "Espirais"?
Adotarei aqui o termo Espirais para me referir aos poderes desenvolvidos pela Ordo Dracul. Tal motivo se deve ao fato que, como você poderá perceber ao se aprofundar mais no contexto histórico da coalizão, o termo é melhor apreendido por sugerir uma ascendência de conhecimento, diferentemente do termo adotado pela Devir "Anéis" que sugerem um conhecimento circular, com começo, meio e fim.

O Réquiem apresenta à Família uma série de vantagens que nenhum mortal é capaz de obter, mas a maldição do vampirismo ofusca consideravelmente esses poderes insignificantes.
Entretanto, os vampiros da Ordo Dracul acreditam que não precisa ser assim. Por meio dos Espirais do Dragão, esta coalizão se empenha em trapacear a maldição imposta a seu fundador, despojando-se das limitações e das exigências da morte em vida até que seus integrantes alcancem a pureza. Os Espirais do Dragão abrangem três filosofias distintas e cada uma delas apresenta três camadas. Os Espirais do Dragão, como o Crúac e a Feitiçaria Tebana, não pertencem realmente a um clã. Os integrantes da coalizão podem estudar qualquer um dos Espirais ou todos eles, mas reconhecem que nenhum vampiro, até onde se sabe, conseguiu dominá-los de fato. O personagem precisa ter pelo menos um círculo de Status na Coalizão (Ordo Dracul) para aprender qualquer um dos Espirais do Dragão. O jogador que adquirir pelo menos um círculo dessa Vantagem durante o processo de criação do personagem poderá investir um dos três círculos de Disciplina nos Espirais do Dragão se assim o desejar. Toda vez que o jogador quiser aumentar o índice de Espirais do Dragão do personagem, este ainda precisará ter pelo menos um círculo de Status na Coalizão (Ordo Dracul) para tanto. A ativação de uma camada dos Espirais por si só não exige testes nem o investimento de um benefício (apesar de algumas camadas incrementarem certos testes ou liberarem o uso de determinadas habilidades que normalmente não seriam permitidas). O personagem tem sempre a opção de usar uma camada disponível, e os benefícios da camada podem ser “desligados” ao bel-prazer do membro da Família.

Baixe aqui o compêndio das Espirais do Dragão: Poderes do Dragão

Fonte: Vampiro: O Réquiem e https://sites.google.com/site/curitibarpg/vampiro-o-requiem

, , , , ,

A Feitiçaria da Família: Feitiçaria Tebana



Feitiçaria Tebana

A Feitiçaria Tebana é a magia milagrosa praticada pelos membros da Lancea Sanctum. De acordo com a coalizão é uma tradição de magia ensinada (ou roubada, dependendo daquele que ouve) por um "avatar de Deus". Diz-se que a prática foi recebida quando os antigos membros visitavam Tebas, no norte do Egito, com um contingente de soldados cristãos durante o reino de Diocleciano, logo após Longino ter desaparecido. A Disciplina certamente possui tons de julgamento, combinando elementos bíblicos (chuvas de sangue, praga de gafanhotos, a vingança de Deus) com uma fé muito baseada na certeza esotérica.
A Feitiçaria Tebana é mais resguardada do que as facções contrárias aos Santificados acreditam, se não for ainda mais. Embora poucos esquadrões de extermínio Lancea Sanctum se escondam nas sombras para punir vampiros não-Santificados que estejam aptos a usar a Feitiçaria Tebana, poucos membros da coalizão querem ver seus poderes divinamente inspirados serem subestimados. Entretanto, a Lancea Sanctum não é burra. Ela torna seu conhecimento místico disponível se a seita tiver algo a ganhar.
Os vampiros que deixam a Lancea Sanctum por outras coalizões invariavelmente levam os rituais consigo, mas descobrem ser quase impossível aumentar a Disciplina.
Um personagem deve ter pelo menos um ponto de Status (Lancea Sanctum) para aprender a Feitiçaria Tebana. Um jogador que comprar um ponto desta Vantagem durante a criação do personagem pode distribuir um dos três pontos de Disciplinas em Feitiçaria Tebana, se assim desejar. A qualquer momento em que o jogador quiser aumentar seu nível de Feitiçaria Tebana, o vampiro deve ainda possuir pelo menos um ponto de Status (Lancea Sanctum) para fazê-lo.

Baixe aqui o compêndio dos poderes da Feitiçaria Tebana: Feitiços Tebanos


Fonte: Vampiro: O Réquiem e https://sites.google.com/site/curitibarpg/vampiro-o-requiem
 

, , , , ,

A Feitiçaria da Família: Crúac



Crúac


Crúac é o nome comum para uma feitiçaria de sangue pagã praticada pelo Círculo da Anciã. Um tipo de magia ritual, Crúac, que signififica “crescente”, é uma mistura de magia pré-cristã e pagã vinda de todo o mundo cujo único elemento comum é uma dependência de sacrifício de sangue. Crúac é denunciado por muitos Membros tradicionais como “magia negra” ou “bruxaria” e, em áreas onde a Lancea Sanctum domina, praticantes conhecidos de Crúac são ocasionalmente perseguidos como hereges. É claro que este mesmo escárnio e medo de Crúac que leva muitos a procurarem a coalizão e, por extensão, ao estudo desta Disciplina.
A mensagem de poder do Círculo da Anciã fala no coração de muitos neófi.tos, e para alguns não há maior expressão de poder do que esta Disciplina. Crúac é um dos mistérios centrais da estrutura de crenças do Círculo, bem como uma arma potente no arsenal da aliança. Como deve ser esperado, o conhecimento desta Disciplina é um segredo muito bem guardado. Novos iniciados geralmente não são agraciados com seus segredos.
Como um novo membro de uma facção quase religiosa de Amaldiçoados, um vampiro pode muito bem ter que provar sua lealdade ao Círculo através de testes e ordálios antes que seus aderentes estejam dispostos a compartilhar seu conhecimento. Embora os vampiros que deixem o Círculo da Anciã por outras seitas invariavelmente levem o conhecimento consigo, muitos descobrem ser quase impossível aumentar seu conhecimento de Crúac fora da estrutura do Círculo. Um personagem deve ter pelo menos um nível de Status (Círculo da Anciã) para aprender Crúac.
 Um jogador que compre pelo menos um ponto desta Vantagem durante a criação do personagem pode gastar um dos três pontos de Disciplinas em Crúac se assim desejar. A qualquer momento em que o jogador desejar aumentar seu índice em Crúac, o personagem deve ainda possuir pelo menos um ponto em Status (Círculo da Anciã) para fazê-lo. Devido às diferentes culturas dentro do Círculo da Anciã, muitos rituais de nomes diferentes possuem poderes semelhantes. Como por exemplo o ritual de nível um A Agonia de Prosérpina pode ser conhecido como Apetite de Limbaem Nova Orleans ou como Maldição de Tawrich em Teerã. Esta compilação reúne todos os rituais oficiais de Crúac, e jogadores e Narradores são encorajados a criar os seus próprios rituais usando os apresentados aqui como modelos.

Abaixo, um compêndio com os poderes de Crúac: Feitiços da Anciã


Fonte: Vampiro: O Réquiem e https://sites.google.com/site/curitibarpg/vampiro-o-requiem